NÃO ENCONTROU O LIVRO QUE PROCURA? ENTRE EM CONTATO CONOSCO PELO WHATSAPP

Mostra de Cinema Tiradentes exibe 169 filmes em programação gratuita e on-line

Em 2022, a Mostra de Cinema de Tiradentes comemora 25 anos de existência –uma trajetória rica em propósitos, realizações, descobertas, invenções, reflexões, formação, promoção, exibição e difusão do cinema brasileiro. E esta celebração ia ser realizada de 21 a 29 de janeiro de 2022, no formato híbrido, com ações on-line pela plataforma mostratiradentes.com.br e com atividades presenciais no Largo das Forras, Largo da Rodoviária e no Centro Cultural Yves Alves, seguindo todos os protocolos sanitários relativos à pandemia de Covid-19. No entanto, diante do aumento de casos de Covid-19 provocados pela variante Ômicron, a programação passará a ser totalmente on-line, de acordo com comunicado emitido na noite do dia 14 de janeiro pela Universo Produção, depois de reunião com representantes do governo de Minas Gerais e da prefeitura municipal de Tiradentes. Desse modo, a programação transmitida a seguir foi alterada e os eventos presenciais não mais ocorrerão.

A cidade histórica mineira será a capital do cinema brasileiro contemporâneo, abrindo o calendário audiovisual do ano. A programação abrangente e gratuita vai exibir 169 filmes de 21 estados brasileiros (64 longas, 3 médias e 102 curtas-metragens) em pré-estreias e mostras temáticas; participação de mais de 150 convidados no 25o Seminário do Cinema Brasileiro (com debatesEncontros com os Filmes e rodas de conversa); 10 oficinas; além de performance audiovisual, exposições, lançamento de livros, teatro de rua e intervenções artísticas. 

“Esta edição representa um momento histórico em nossas realizações, porque além de adaptar a programação e adequar as estruturas para este cenário pandêmico, planejamos uma série de ações comemorativas aos 25 anos da Mostra de Cinema de Tiradentes, que revisita esta trajetória que é testemunha do surgimento da nova geração de realizadores e, a cada edição, apresenta um rico panorama da produção cinematográfica que se multiplicou, diversificou, se manifestou em atitudes, debates e em memoráveis obras de gênios talentosos da nossa cinematografia. A renovação é uma das marcas mais significativas que estampou o Brasil nas telas da Mostra Tiradentes e celebrar todas as conquistas revigora nossa alma”, ressalta a Raquel Hallak, coordenadora geral do evento.

abertura da Mostra acontece na noite de 21 de janeiroa partir das 21 horas, com homenagem ao cineasta Adirley Queirós, apresentação da temática “Cinema em Transição” e exibição, em pré-estreia, de “Fragmentos de 2016 em dois episódios”, mais novo projeto de Adirley, codirigido por Cássio Oliveira. O realizador do Distrito Federal será pauta central do debate a ser realizado no sábado e que vai tratar de sua trajetória junto a amigos e parceiros do homenageado: a cineasta Dácia Ibiapina, a montadora Cristina Amaral e o Técnico de Som Direto Francisco Craesmeyer.

TEMÁTICA | CINEMA EM TRANSIÇÃO

Proposta para a 25a edição da Mostra, a temática “Cinema em Transição” parte da percepção de que o cinema brasileiro atravessa um período complexo e delicado em diversos setores: do desenvolvimento de projetos à produção, das filmagens à finalização, da distribuição à exibição, toda a cadeia de realização tem sido reestruturada, reconfigurada e, muitas vezes, revolucionada. “Estamos num período histórico de aceleração dos processos, que passa pela economia e pela criatividade no audiovisual, desde as formas de financiamento até a efervescência das plataformas de streaming e a crise das salas físicas”, destaca o coordenador curatorial Francis Vogner dos Reis.

Analisando mudanças técnicas, estéticas e econômicas, o cinema brasileiro contemporâneo será investigado, durante a Mostra, a partir de seus novos arranjos profissionais e artísticos em andamento, diante de uma realidade econômica e criativa que segue institucionalmente negando a cultura (em âmbito de Governo Federal) e uma movimentação cultural que não pode mais se restringir aos antigos modelos de produção e circulação de obras, sob risco de sua própria sobrevivência e a dos profissionais envolvidos. “Ninguém quer e nem pode parar. Se existe muita constrição, precarização e recuos nesse processo, no aspecto criativo lidamos num cenário em que os intentos, as ideias e as práticas a partir do audiovisual são fortes em outros territórios de experimentação”, afirma Francis.

A forte presença de filmes dirigidos por pessoas negras, trans e indígenas, a proliferação de coletivos criativos vindos de outras áreas artísticas para além do cinema e a experimentação de formatos, linguagens e espaços de exibição serão fundamentais para se compreender a amplitude dos conceitos tratados na Mostra em 2022.

Sob esse recorte, cinco sessões vão apresentar e refletir os processos de transição (entre formas, plataformas, temas e artistas) pelos quais passa a produção audiovisual nos últimos anos. “Diário Dentro da Noite” (RJ), de Chico Diaz (ator homenageado pela 16a CineOP em 2021), lida com as angústias da pandemia durante confinamentos realizados em meio à montagem de uma peça a partir do livro “A Lua Vem da Ásia”, de Campos de Carvalho. Outro título desse recorte é “Hit Parade” (MG), série de TV dirigida por Marcelo Caetano que terá dois episódios exibidos na Mostra. No enredo, após levar um golpe do produtor Missiê Jack, o compositor Simão abre uma gravadora para enfrentar seu rival. Em pouco tempo, uma guerra entre eles domina a música pop dos anos 80.

Uma reunião de curtas-metragens também vai tratar desse cenário de transições, com os filmes “Rua Ataleia”, de André Novais Oliveira; “Voz na Escuridão”, de José Hélio Neto; “Qual é a Grandeza?”, de Marcus Curvelo; “521 Anos”, de adanilo; e “YÃY TU NŨNÃHÃ PAYEXOP: Encontro de Pajés”, de Sueli Maxakali; assim como o média-metragem “Ficções Sônicas #2 – Feitiço”, de Grace Passô e Aline Vila Real.

HOMENAGEM | ADIRLEY QUEIRÓS (cineasta)

Desde a histórica e apoteótica sessão de “A Cidade é uma Só?” em 2012 – quando inclusive saiu com o Troféu Barroco de melhor filme da Mostra Aurora –, Adirley Queirós, cineasta de Ceilândia, no Distrito Federal, vem apresentando seus novos e instigantes trabalhos no evento. Junto ao Ceicine (Coletivo de Cinema da Ceilândia), ele toma parte historicamente em um panorama contemporâneo que, nos últimos 16 anos, se fez entre a independência radical dos coletivos e o estímulo das políticas públicas para o audiovisual em nível federal, estadual e municipal, com o fomento a pequenas produções.

O cinema de Adirley permite traçar uma trajetória que reflete um processo político de um passado de violência traumática que determina o presente e influencia os rumos do futuro, em filmes como “Rap, o Canto da Ceilândia” (2005), “Dias de Greve” (2009), “Fora de Campo” (2010), o citado “A Cidade é Uma Só?” (2012) e os posteriores “Branco Sai, Preto Fica” (2014) e “Era Uma Vez Brasília” (2017). Todos os títulos serão exibidos na Mostra Homenagem, sendo obras fundamentais nesse rosto de transição que o cinema brasileiro foi adquirindo nos últimos anos.

FILMES

A seleção de 169 filmes (entre longas e curtas-metragens), de 21 estados brasileiros (AC, AM, BA, CE, DF, ES, GO, MG, MT, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RN, RJ, RS, SC, SE, SP) , vai apresentar a força da cinematografia brasileira contemporânea, mesmo num momento de crise provocado pelos efeitos devastadores da pandemia e da inexistência ou paralisia de políticas públicas culturais. A coordenação curatorial do evento é assinada pelo crítico Francis Vogner dos Reis, que divide com a pesquisadora Lila Foster a seleção de longas-metragens. A curadoria de curtas-metragens foi feita por Camila VieiraTatiana Carvalho Costa e Felipe André Silva. Os filmes estarão distribuídos nas seguintes mostras: Aurora, Olhos Livres, Temática, Homenagem, Autorias, Foco, Panorama, Foco Minas, Praça, Formação, À Meia-noite Levarei sua AlmaSessão Debate, Jovem, Valores, 25 anos, Regional e Mostrinha. Para ampliar a experiência, vários dos filmes contarão com debates nos Encontros com os Filmes, tendo a presença de diretores, equipes de produção e críticos convidados.

Mostra Aurora, dedicada a filmes de realizadores com até três longas-metragens, tem produções inéditas em circuitos de festival, com expressões e abordagens arrojadas no atual cenário de realização. Os sete selecionados desse ano são: “Seguindo Todos os Protocolos” (PE), de Fábio Leal; “A Colônia” (CE), de Virgínia Pinho e Mozart Freire; “Sessão Bruta” (MG), de As Talavistas e ela.ltda; “Panorama” (SP), de Alexandre Wahrhaftig; “Maputo Nakurandza” (RJ-SP), de Ariadine Zampaulo; “Bem-vindos de Novo” (SP), de Marcos Yoshi; e “Grade” (MG), de Lucas Andrade. Todos eles vão ser avaliados pelo Júri da Crítica e concorrem ao Troféu Barroco e a prêmios de parceiros da Mostra. Leia mais aqui.

Nomeada em tributo ao cineasta Carlos Reichenbach (1945-2012), a Mostra Olhos Livres é um recorte da programação que se caracteriza pela diversidade de formas e conceitos, sem critérios uniformizantes ou regulamento prévio. Ao longo dos anos, consolidou-se como panorama amplo de algumas das proposições mais instigantes do cinema contemporâneo brasileiro, muitas vezes vindas de realizadores já com trajetória significativa nos circuitos de exibição nacional e estrangeiro. Em 2022, os títulos, selecionado são: “O Dia da Posse” (RJ), de Allan Ribeiro; “Você nos Queima” (SP), de Caetano Gotardo; “Os Primeiros Soldados” (ES), de Rodrigo de Oliveira; “Germino Pétalas no Asfalto” (SP), de Coraci Ruiz e Julio Matos; “Manguebit” (PE-SP-RJ), de Jura Capela; e “Ava – Até que os Ventos Aterrem” (SP), de Camila Mota. Leia mais aqui.

Em filmes de diálogo imediato com o público – mas nem por isso mais simples ou menos complexos, os títulos da Mostra Praça em 2022 apresentam desafios estéticos estimulantes em várias possibilidades de impacto. Além de três sessões de curtas-metragens (leia mais aqui), a praça será espaço de diversos longas-metragens em pré-estreia. O premiadíssimo “Carro Rei” (PE), de Renata Pinheiro, mostra o jovem Uno e seu fantástico poder de conversar com carros. Quando uma lei proíbe a circulação de automóveis antigos, Uno e seu tio transformam o velho táxi da família em “novo”, o que acarreta uma série de consequências entre a alegoria e o medo. Outro título com passagens bem-sucedidas em festivais é “A Felicidade das Coisas” (SP), estreia de Thais Fujinaga no longa-metragem. O filme acompanha Paula à espera de seu terceiro filho enquanto passa o tempo entre uma praia feia e uma recém-adquirida e modesta casa de veraneio, no litoral paulista. Quando seus planos se desfazem por conta de problemas financeiros, ela se torna cada vez mais sufocada pelo peso das responsabilidades.

A praça Tiradentes deverá ficar intensa e agitada na exibição de “Lutar, Lutar, Lutar” (MG), documentário de Helvécio Marins Jr e Sérgio Borges, que conta a história centenária do Clube Atlético Mineiro desde sua fundação, em 1908, até o título da Copa do Brasil de 2014, passando pela épica conquista da Libertadores em 2013. Mais animação poderá ser vista em “As Faces do Mao” (SP), de Dellani Lima e Lucas Barbi, que acompanha a trajetória e o cotidiano de José Rodrigues Mao Jr., professor de história, sindicalista, vocalista e fundador da banda Garotos Podres, icônico grupo de punk brasileiro dos anos de 1980.

O urgente tema das barragens rompidas em Minas Gerais está em “Lavra” (MG), de Lucas Bambozzi, que segue a personagem Camila, geógrafa de volta à terra natal depois que o rio de sua cidade ser contaminado por uma mineradora. Ela decide fazer um mapeamento dos impactos da mineração em Minas e se envolve com ativistas e movimentos de resistência, em busca de tentar recuperar seu próprio mundo e se embrenhar na guerra entre capitalismo e natureza.

Seguindo a tradição dos chamados midnight movies, com filmes de gênero que encerram as exibições dos fins de semana da Mostra, em 2022 surge “À Meia-noite Levarei sua Alma”, com uma seleção de filmes perturbadores “amaldiçoada” pelo grande José Mojica Marins (1936-2020), cujo mais famoso filme de terror batiza a sessão. E é justamente de Mojica o primeiro título desse ano, “A Praga”, pré-estreia nacional de um projeto póstumo do criador do Zé do Caixão que ficou décadas desaparecido e foi recentemente recuperado e finalizado pelo produtor Eugênio Puppo. Também na madrugada será exibido “Extremo Ocidente”, de João Pedro Faro.

Na Mostra Autorias, o mais novo filme do cineasta Julio Bressane, “Capitu e o Capítulo” (RJ) retoma o clássico “Dom Casmurro”, de Machado de Assis, numa dança ensaística ritmada por uma singularidade de estilo: a brevidade de capítulos que expandem a figura do narrador e apresentam, na personalidade incisiva de Capitu e nas respostas titubeantes de Bentinho, uma redefinição dos duos habituais da filmografia do cineasta. Por sua vez, “Cafi – Salve o Prazer”, de Lírio Ferreira, resgata a vida e obra do fotógrafo e artista plástico pernambucano Carlos da Silva Assunção Filho (1950-2019) e mergulha no trabalho encantador de um artista que participou de criações e momentos-chave da música brasileira no século 20.

Outro grande artista retratado em Tiradentes, na Sessão Debate, é o cineasta Ruy Guerra, hoje aos 90 anos de idade. “Tempo Ruy” (RJ), documentário de Adilson Mendes, mostra o trabalho do cineasta, escritor, ator e dramaturgo moçambicano radicado no Brasil. Um filme-ensaio com materiais diversos para destacar o discurso do cineasta sobre sua obra ao longo do tempo, desde sua primeira experiência cinematográfica até momentos recentes de seu trabalho, apresentando o artista como crítico da sociedade, o cinema em favor da transformação política, a emancipação da mulher e o retorno do reprimido.

Nos curtas-metragens, serão exibidos 102 títulos de 18 estados. Em 2021, foram exibidos 79 curtas, portanto 2022 contará com acréscimo significativo de títulos. Leia mais sobre os curtas-metragens aqui.

SEMINÁRIO | DEBATES

Seminário do Cinema Brasileiro, novamente em formato presencial, volta a ser um dos ambientes mais intensos de debates e discussões sobre o cinema no país. Em 2022 serão mais de 150 profissionais, entre críticos, realizadores, produtores, atores, acadêmicos, pesquisadores e jornalistas, atuando em 52 encontros e debates, entre eles a série Encontros com os Filmes, as rodas de conversa e os bate-papos após sessões do Cine-Praça.

PROGRAMA DE FORMAÇÃO | OFICINAS

A Mostra de Tiradentes tem também o compromisso de investir em novos talentos e promove o Programa de Formação com a oferta de oficinas audiovisuais para o público jovem e adulto, visando à capacitação técnica para o mercado de cinema em diversas frentes possíveis de trabalho. Desde sua primeira edição, em 1998, já foram certificados quase 7.000 alunos, em aproximadamente 260 oficinas ministradas.

Em 2021, devido à pandemia, todas as atividades serão realizadas em ambiente digital, mantendo o mesmo propósito e conceito das edições presenciais. Este ano, de volta ao formato presencial, serão ofertadas no período da mostra 10 oficinas e 260 vagas para públicos e interesses diversos. As vagas já estão preenchidas e as opções desse ano são: “Pitchings Memoráveis para o Audiovisual”, “Dublagem: A Arte da Voz”, “Assistência de Direção”, “Planejamento, Produção e Divulgação de Conteúdo para Redes Sociais”, “Da Personagem ao Argumento”, “A Entrevista no Documentário”, “O Som em Cena”, “Dramaturgias do CorpoEspaço” e “Cinema e Artes Plásticas em Tempos de Transformação” e “Fotografia Expandida”.

MOSTRINHA E MOSTRA JOVEM

Sempre pensando na formação de novos olhares para o cinema brasileiro, as sessões Mostrinha e Jovem se dedicam ao público infantil e juvenil em Tiradentes, considerando também a diversidade de formatos e linguagens dessa produção demográfica. Para as crianças, haverá uma sessão de cinco curtas-metragens e de três longas: “Poropopó”, de Luis Igreja, mostra uma família de palhaços que deixa o circo para morar na cidade e enfrentando dificuldades, preconceitos e autoritarismo com muito humor e magia; e “Tromba Trem”, de Zé Brandão, que o divertido elefante Gajah depois que ele se torna uma celebridade da noite para o dia e se envolve num misterioso desaparecimento; e “Pequenos Guerreiros”, de Barbara Cariry, no qual uma família de pescadores do litoral do Ceará decide viajar para o sertão, indo até a cidade de Barbalha, na região do Cariri, com o objetivo de pagar uma promessa durante a Festa do Pau da Bandeira.

A Mostra Jovem conta com o longa “Os Dragões”, de Gustavo Spolidoro, em que um grupo de cinco amigos da bucólica cidade de Cotiporã está aterrorizado com a ideia de ficarem mais velhos e com as responsabilidades que vêm no processo; e um conjunto de cinco curtas-metragens.

ARTE | PERFORMANCE, EXPOSIÇÕES, LANÇAMENTO DE LIVROS

Arte por toda a parte. As ruas tricentenárias de Tiradentes serão embaladas por cores, música, artes cênicas, sons e imagens durante a 25a Mostra de Cinema de Tiradentes que, nesta edição, adaptou sua programação para não gerar aglomeração de pessoas. O público vai poder conferir 3 performances audiovisuais3 exposições temáticas, 7 lançamentos de livros, 3 apresentações de teatro de rua, 5 intervenções artísticas fazendo a conexão do cinema com as outra artes, expressões artísticas da cultura brasileira.

O QUE VOCÊ VAI VER NA PROGRAMAÇÃO ON-LINE?

A programação online do evento acontece na plataforma oficial – mostratiradentes.com.br e pode ser acessada gratuitamente de onde você estiver. O sinal estará aberto para o mundo. Você vai poder acompanhar os bastidores do evento e acompanhar tudo que está acontecendo no maior evento do cinema brasileiro.

Você poderá assistir aos filmes da Mostra Homenagem ao cineasta Adirley Queiros, Mostra “Cinema em Transição”, Mostra Panorama, Mostra 25 anos e acompanhar as transmissões ao vivo diretamente de Tiradentes – Abertura oficial, Debates Conceituais e temáticos, Rodas de Conversa, Encerramento/Premiação.

O QUE VOCÊ VAI VER NA PROGRAMAÇÃO PRESENCIAL?

A programação presencial segue a estrutura e formatação das edições anuais do evento, com exceção dos shows e cortejo da arte, que foram substituídos por rodas de conversa e intervenções artísticas para evitar aglomeração de pessoas. O público desfrutará das atividades que acontecem em três espaços da cidade: Largo das Fôrras – instalação do Cine-Praça, Rádio CBMM, Exposição, Praça de Convivência Turma do Pipoca; Largo da Rodoviária – instalação do Cine-Tenda, Cine-Lounge, Exposição, Cine-Café e Cine-Loja; Centro Cultural Yves Alves – sede do evento, instalação do Cine-Teatro, Exposição, Secretaria do evento, Sala de Coordenação e Logística, Sala de Imprensa e Cine-Loja.

Para evitar a disseminação do novo coronavírus, a ocupação das plateias dos cinemas serão reduzidas em 50%. Será obrigatório o uso de máscaras de todo o público em todas as dependências e programação do evento.

Os espectadores poderão desfrutar e participar da extensa programação de filmes, debates, rodas de conversa, performance, lançamento de livro, do evento acontece na plataforma oficial – mostratiradentes.com.br e pode ser acessada gratuitamente.

PROTOCOLOS SANITÁRIOS | SELO EVENTO SEGURO

O evento obteve o Selo Evento Seguro junto à Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais e seguirá o protocolo sanitário do Programa Minas Consciente, o qual orienta a adoção de medidas de higiene e de distanciamento como as principais armas para o enfrentamento ao contágio por Covid-19, enquanto a imunização não estiver difundida na sociedade.

Informamos que a programação do evento, bem como a sua estrutura e instalações foram adequadas para evitar aglomeração de pessoas e foram submetidas e aprovadas pelos órgãos competentes do município de Tiradentes e do Governo de Minas Gerais.

Serão distribuídas senhas com 45 (quarenta e cinco) minutos de antecedência para ter acesso às sessões de cinema do Cine-Tenda e do Cine-Teatro e 30 (trinta) minutos de antecedência para ter acesso aos debates do Cine-Teatro.

A organização do evento disponibilizará álcool gel nas dependências e entradas do evento e exigirá o uso obrigatório de máscaras. No Cine-Tenda, Cine-Lounge e Cine-Teatro haverá controle de entrada e saída do público. Não será permitida a entrada de bebidas e comidas nas salas de cinema – Cine-Tenda e Cine-Teatro. Ao final de cada sessão de cinema (Cine-Tenda e Cine-Teatro) e dos debates (Cine-Teatro), o público deverá se retirar para higienização do espaço.

Siga os canais do evento para obter informações oficiais sobre a 25a Mostra de Cinema de Tiradentes e acompanhe a divulgação, bastidores e acesse a programação do evento . Cada um fazendo sua parte, todos poderão desfrutar do evento de maneira segura e consciente.

USE MÁSCARA, FAÇA A HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS, MANTENHA O DISTANCIAMENTO.

EM CASO DE SINTOMAS GRIPAIS, NÃO VIAJE E FIQUE EM CASA.

25MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES 

  • ABERTURA OFICIAL
  • PERFORMANCE AUDIOVISUAL
  • HOMENAGEM A ADIRLEY QUEIRÓS
  • CAMPANHA #EUNAMOSTRATIRADENTES
  • EXIBIÇÃO DE 169 FILMES – 64 LONGAS,3 MÉDIAS E 102 CURTAS
  • PRÉ-ESTREIAS E MOSTRAS TEMÁTICAS
  • MOSTRINHA
  • MOSTRA VALORES
  • 25OSEMINÁRIO DO CINEMA BRASILEIRO
  • 51 DEBATES, DIÁLOGOS E RODAS DE CONVERSA
  • 10 OFICINAS
  • 3 EXPOSIÇÕESTEMÁTICAS
  • CONEXÃO BRASIL CINEMUNDI
  • LANÇAMENTO DE LIVROS
  • TEATRO DE RUA
  • ENCERRAMENTO/PREMIAÇÃO

SOBRE A MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES

PLATAFORMA DE LANÇAMENTO DO CINEMA BRASILEIRO

Maior evento do cinema brasileiro contemporâneo em formação, reflexão, exibição e difusão realizado no país, chega a sua 25a edição de 21 a 29 de janeiro de 2022, em formato online e presencial. Apresenta, exibe e debate, em edições anuais, o que há de mais inovador e promissor na produção audiovisual brasileira, em pré-estreias mundiais e nacionais – uma trajetória rica e abrangente que ocupa lugar de destaque no centro da história do audiovisual e no circuito de festivais realizados no Brasil.

O evento exibe mais de 100 filmes brasileiros em pré-estreias nacionais e mostras temáticas, presta homenagem a personalidades do audiovisual, promove seminário, debates, a série Encontro com os filmes, oficinas, Mostrinha de Cinema e atrações artísticas. Toda a programação é gratuita. Maiores informações www.mostratiradentes.com.br. 

TODA PROGRAMAÇÃO É OFERECIDA GRATUITAMENTE AO PÚBLICO.

Imagem em Destaque: Filme da Mostra Autorias/25ª Mostra de Cinema Tiradentes – Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.