NÃO ENCONTROU O LIVRO QUE PROCURA? ENTRE EM CONTATO CONOSCO PELO WHATSAPP

Arma de cauda do anquilossauro descoberto no Chile o diferencia de outros dinossauros

Uma nova espécie de anquilossauro descoberta na região subantártica do Chile fornece novas informações sobre a origem e a evolução inicial desses dinossauros blindados. As descobertas, apresentadas na Nature, revelam que o Stegouros elengassen desenvolveu uma arma de cauda grande, diferente das vistas em outros dinossauros. Os anquilossauros (Ankylosauria) da Laurasia, a massa de terra ao norte do que já foi o supercontinente Pangea, são diversos e bem estudados. No entanto, aqueles do sul de Gondwana – que provavelmente incluem os primeiros tipos de anquilossauros – são raros e mal compreendidos.

Alexander Vargas e seus colegas descrevem o esqueleto bem preservado e quase todo completo de um pequeno anquilossauro, com aproximadamente dois metros de tamanho, do final do período Cretáceo (cerca de 71,7 a 74,9 milhões de anos atrás) descoberto em Magallanes, no extremo sul do Chile. Os autores revelam que o esqueleto pertencia a uma nova espécie de anquilossauro, chamada Stegouros elengassen. O Stegouros tem características de crânio distintas como as de outros anquilossauros, mas o resto de seu esqueleto é considerado basicamente primitivo, com algumas características semelhantes a estegossauros.

Stegouros também possuía uma arma de cauda grande composta de sete pares de depósitos ósseos achatados fundidos em uma estrutura semelhante a uma folhagem na parte distal de sua cauda, ​​diferenciando-a dos espigões e clavas emparelhados de outros dinossauros blindados. As análises filogenéticas – equivalentes à construção da árvore genealógica dos anquilossauros – permitiram que a equipe reconhecesse o Stegouros como um anquilossauro, especificamente relacionado ao Kunbarrasaurus da Austrália e ao Antarctopelta da Antártica.

À luz de suas descobertas, os autores concluem que diferentes ramos da árvore genealógica dos anquilossauros podem ter existido na Laurasia e no Gondwana após a separação final desses supercontinentes no final do período Jurássico. Essa proposição, afirmam eles – ao lado de outras possibilidades levantadas pela descoberta de Stegouros – reitera o quanto ainda temos que aprender sobre a evolução dos dinossauros blindados, particularmente em Gondwana.

Imagem em destaque: Reconstrução artística da aparência de vida da nova espécie de dinossauro blindado Stegouros elengassen. Crédito do paleoartista: Luis Pérez López

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *